Governo do Estado e Comando-Geral da PM determinam fechamento de Centro Infantil Sargento Marizeth

23231482 1715160655223699 4693311403038677723 nOs deputados Sargento Rodrigues e Coronel Piccinini visitaram na manhã desta quarta-feira, 8/11/2017, o Centro Infantil Sargento Marizeth, creche que atende 48 crianças de idades entre quatro meses e seis anos, e que fica localizada dentro da Academia de Polícia Militar de Minas Gerais, no Prado, em Belo Horizonte.

Sargento Rodrigues, que já vinha acompanhando o trabalho desenvolvido no local e as melhorias realizadas com a verba de R$30 mil que destinou em 2016, foi até a escola, nesta ocasião, para uma reunião com pais, professores e os responsáveis pela instituição, uma vez que, o Comando-Geral da Polícia Militar determinou, no último dia 23/10/2017, o fechamento imediato do Centro Infantil.

Segundo o Comando-Geral da PM, a justificativa para a determinação são as dívidas de tributos federais que a escola possui como INSS, FGTS e PIS, o que de acordo com os responsáveis pela escola, não procede, uma vez que, a direção tem enviado todo o esforço para regularizar a instituição, bem como sua documentação, já tendo realizado um refinanciamento e quitado as primeiras parcelas. De acordo com a direção, a única pendência é uma certidão negativa de débito, que a Receita Federal pode levar de dois meses a dois anos para expedir.

23319093 1715159935223771 1843615312501809353 nPara o deputado Sargento Rodrigues, a decisão do Comando-Geral pode ser traduzida como um ato de crueldade, e não de legalidade, já que a dívida já foi renegociada e que seria possível aguardar os órgãos federais responsáveis expedirem o único documento ainda pendente para a regularização da creche. “A escola presta um trabalho de carinho e dedicação aos filhos de policiais e bombeiros militares e de servidores civis, que precisam de um lugar de confiança para deixarem seus filhos enquanto trabalham. É cruel determinar uma ordem de despejo para as crianças que estudam aqui e para os profissionais que prestam serviços e a questão da documentação é só um pretexto para tudo isso. Todas as outras pendências já foram regularizadas. Os pais nem conseguem entender o motivo para tudo isso, é um absurdo”.

Vários pais e professores se emocionaram durante a reunião. A professora Maíza Ramos declarou que a maior preocupação é com seu futuro e com o futuro das crianças, principalmente das que são bolsistas e dependem desta oportunidade para o aprendizado. “O que será dessas crianças se formos despejados? Nós já passamos por muitas coisas aqui. Hoje a escola está numa situação melhor, não há motivo para o Comando-Geral da PM nos despejar. A representante dos pais, Bárbara Caroline, afirmou que é um absurdo uma história de 22 anos ser jogada fora e pediu socorro para que o despejo não ocorra.

23380102 1715160141890417 106094186504157215 nAo final, Sargento Rodrigues afirmou ainda que o Centro Infantil Sargento Marizeth deveria ser exemplo, modelo para que outros batalhões da PM e dos Bombeiros também criassem novas unidades, porque filhos de policiais e bombeiros dependem e necessitam disso, já que não recebem o chamado "auxílio-creche", como outras categorias do Estado: “Infelizmente, o comandante da PM não conhece a realidade aqui de perto, se ele viesse aqui, se ele conversasse aqui com os professores, com os pais, com os alunos, teria uma visão completamente diferente. Estenderia o prazo, prestaria apoio, já que tem condições de apoiar, mas está fazendo o contrário, está despejando 48 crianças de sua oportunidade de aprender”. O parlamentar ainda declarou que convocará uma audiência pública para que os pais, mães e funcionários possam ir até a Assembleia mostrar ao governo e ao Comandante-Geral da PM o ato de crueldade e de covardia que está sendo feito com a escola.

NOTÍCIAS IMPORTANTES