Batalhão da PM sitiado por criminosos e a polícia sucateada, mas o Governo do Estado continua desviando os recursos da segurança pública

1212114O deputado Sargento Rodrigues, da tribuna da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), na tarde desta terça-feira, 7/11/2017, mais uma vez, criticou o Governo de Minas Gerais, que vem sucateando a segurança pública de Minas Gerais, gerando insegurança aos cidadãos mineiros. O parlamentar, em seu discurso, falou, com tristeza do ataque ocorrido na madrugada do dia 6/11/2017, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, quando cerca de trinta bandidos fortemente armados atacaram e explodiram a empresa de valores, Rodoban, como também fizeram um cerco no 4º Batalhão de Polícia Militar (BPM).

De acordo com o deputado Sargento Rodrigues, primeira vez na história da Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, uma cidade e um batalhão da PM foram sitiados pelo crime, cercados por bandidos, especialmente criminosos da facção criminosa PCC de São Paulo. “Imagine você deparar com a cena onde eles tiveram a ousadia de destruir praticamente todas as paredes da empresa Rodoban, em uma demonstração de força, de ousadia. A segurança em Minas Gerais está completamente sucateada. Em 2015, comecei a falar da execução do orçamento da segurança pública em Minas Gerais quando comparado com o exercício de 2014. O governo de Fernando Pimentel, do PT, está destruindo toda política pública que foi construída ao longo de 12 anos do governo anterior”, disse.

Ainda segundo Sargento Rodrigues, o Comandante Geral da Polícia Militar, Coronel Helbert Figueiró de Lourdes e o Chefe do Estado-Maior, Coronel André Leão, tentaram “tapar o sol com a peneira” para proteger o Governo de Fernando Pimentel que não contratou os 12 mil policiais, como prometido em sua campanha ao Governo do Estado, em 2014. “Eles estão acabando com as unidades especializadas do interior. Estão acabando com o GATE e com ROTAM, como fizeram no município de Uberaba. Coronel André Leão mandou extinguir a companhia ROTAM de Uberaba e agora o reflexo disso é o que aconteceu ontem de madrugada. Recebi também um e-mail de um cidadão, um policial militar, dizendo “Terror em Uberaba!” Deputado, somente para o senhor ter ideia do fato, no momento havia, às 3 horas da madrugada, somente uma viatura trabalhando e seis policiais no quartel e, nas áreas integradas de segurança pública, que são três, havia um policial em cada uma.” Não era possível dar a resposta ao ataque de trinta criminosos fortemente armados com fuzis 556, AK47, metralhadoras, escopetas, pistolas ponto 40, explosivos, gramados, quatorze veículos utilizados pela quadrilha Uberaba”, completou.

“Jamais na história da Polícia Militar de Minas Gerais, em 242 anos, eles ousaram sitiar e cercar um quartel da Polícia Militar, como cercaram o 4º batalhão de Uberaba. Esse governo não tem responsabilidade para com o cidadão, para o com serviço público que é prestado, que deveria chegar a contento ao cidadão que paga os impostos”, concluiu Sargento Rodrigues.

Veja o vídeo aqui.

NOTÍCIAS IMPORTANTES